22 de fevereiro de 2014

Os Antínoos de Sebastião

(esta nota refere-se à secção 12 de O Barão de Lavos (que pode ler aqui)


"Trouxe-o doente da mais cega paixão, dias seguidos, o célebre Antínoo descoberto em Roma no século XVI, no bairro Esquilino, que ocupa hoje no belvedere do Vaticano um gabinete especial, e é das melhores obras da antiguidade que o tempo nos poupou. Maior que o natural, deslumbrante na lisa alvura do mármore, ele inclina a cabeça levemente e dealba no sorriso uma expressão graciosa e fina, que faz um contraste adorável com a vigorosa envergadura do arcaboiço. Misto inexprimível de morbidezza e força, de energia e doçura, esta figura preciosíssima realizava para Sebastião em êxtase uma tão perfeita harmonia de conjunto, que ele ficou-a tomando sempre por modelo das boas proporções da figura humana."

A estátua de Hermes do Museu Pio-Clementino (Vaticano) foi inicialmente conhecida como o Antinoo do Belvedere (referência ao famoso Pátio do Belvedere, no Vaticano, onde esteve exposta) e durante muito tempo pensou-se ter sido encontrada no bairro romano Esquilino, mas atualmente sabe-se que foi encontrada num jardim perto do Castelo Sant'Angelo. [foto de João Máximo, aqui]



"outra singelamente coroada de gramas e nas mãos as insígnias agrárias de Vertumno, fresca e robusta."

O Antínoo Braschi, atualmente na sala Rotonda do Museu Pio-Clementino do Vaticano, tem a cabeça coroada de folhas e bagas e nas mãos segura o tirso, o bastão envolvido em hera e vinha, e coroado por uma pinha, símbolo na mitologia grega e romana dos deuses Dionísio e Baco (e também Vertumno?). [foto de Jastrow, aqui]



"uma figurando-o de deus egípcio, o olhar hirto e parado, a curva do lótus no sobrolho, o cabelo todo em anéis colados às fontes, paralelos"

Antínoo Osiris, que se pensa ser uma de dez estátuas de mármore de Antínoo em traje egípcio encomendadas por Adriano para decorar os nichos do Serapeum do Canope da Villa Adriana, atualmente no Museu Gregoriano Egípcio (Vaticano). [foto de Marie-Lan Nguyen aqui]


"Uma outra em Roma, no Capitólio, trazida da antiga villa de Adriano em Tivoli, representando o formoso escravo, que as águas do Nilo sepultaram, com o rosto repassado de melancolia, os olhos grandes e magistralmente desenhados, a cabeça também inclinada ligeiramente, e em torno da boca e da face esvoaçando uma perfeição de contorno ideal."

O Antínoo Capitolino foi encontrado na Villa Adriana e foi exposta, depois de restaurada, no Museu Capitolino, onde ainda se encontra hoje (depois de ter sido levada por Napoleão para Paris). [foto de Jastrow, aqui]



"No Louvre, uma com os atributos de Hércules, da mais altiva elegância"

O Antínoo Braschi do Louvre tem o corpo (reaproveitado) de uma estátua de Hércules e uma cabeça de Antínoo. [foto de Jastrow aqui]



"outra com os olhos de pedras finas e sobre as espáduas um manto de bronze, largamente panejado"

Antínoo representado como sacerdote do culto imperial, encontrada na Líbia e atualmente no museu do Louvre. (nota: não sabemos se seria a este Antínoo que Abel Botelho se refere) [foto de Jastrow aqui



"e uma terceira, sedutora, com o largo chapéu, redondo e baixo, de Mercúrio, meia túnica deixando descoberto um braço soberbamente modelado, a perna cingida por botinas de coiro, a coxa inteiramente nua, opulenta e suave."

Antínou Aristeu, deus dos jardins, comprada em Roma pelo cardeal Richelieu e exibida em Paris, no Museu do Louvre. [foto de Marie-Lan Nguyen aqui]




Enviar um comentário