15 de outubro de 2012

Sua Majestade Fidelíssima

Esta nota refere-se à secção 9 de O Barão de Lavos (que pode ler aqui)  

No segundo capítulo de O barão de Lavos, nas últimas frases do parágrafo que se inicia "Em tempos de D. João III, aí por 1541 (...)" trata-se este monarca por Sua Majestade Fidelíssima, o que constitui um erro histórico, pois os reis portugueses só passaram a usar este título no século XVIII, no reinado de D. João V. O magnânimo, com a sua mania da grandeza, como não queria ficar inferiorizado em relação a Suas Majestades Católicas (Espanha), Cristianíssimas (França) e Apostólicas (Império Romano-Germano - Áustria), obteve - provavelmente à custa de muito metal amarelo proveniente do Brasil - do Papa Bento XIV, em 1748, este título para os soberanos portugueses. 

O tratamento dado, portanto, a D. João III por Abel Botelho é abusivo e denota falta de cuidado com a verdade histórica.

(comentário de P., que muito agradecemos)
Enviar um comentário